Atchim e Espirro. Os dois ao mesmo tempo.

Vinte dias sem escrever. 20 diaaaas!!! Esse blog nunca ficou tão abandonado. Pode isso, produção?

Culpa do trabalho? Um pouco.

Culpa de todo drama e chororô relatados no último post? Também. Causou falta de textos e excesso de quilos, porque faltou vontade de escrever, mas não faltou vontade de comer… muito pelo contrário!

Culpa de Saturno que continua bombando? Com certeza, vou culpar Saturno pelos próximos 36 anos.

Culpa do bloqueio criativo? Claro que não, isso é coisa de escritor de verdade.

Culpa de quem então?

Do Netflix, claro. Primeiro porque eu me dei conta de que a última temporada de Suits estava disponível. E daí tive que, simplesmente, assistir 12 episódios no mesmo dia. Eu disse D-O-Z-E!!! Mas quem assiste sabe que Harvey Specter e Mike Ross valem muito uma maratona.*

Segundo, porque quando tudo que você precisa é de uma coisa leve, uma boa solução é se jogar nas comédias românticas! E eu, mulherzinha romântica que sou, amo muito e vejo váaarias! E me joguei nelas durante essas últimas semanas, junto com baldes de pipoca.

E tem umas que eu assisto sempre que passa, no matter what, tipo essas…

Diabo Veste Prada. É o meu filme oficial de viagens. Toda companhia aérea tem no cardápio e eu desencano de qualquer lançamento para ver Anne Hathaway e Meryl Streep divando. E com um pequeno romance ainda no meio de tanta roupa incrível. Acho que eu vi mais de vinte vezes. Sério.

De Repente é Amor. Cara, é o Ashton Kutcher e ele faz uma serenata cantando “I´ll be There for You” do Bon Jovi. Essa mistura de cara bonito, desajeitado e que te faz rir é completamente imbatível. Vi trocentas vezes.

E por último, e finalmente o assunto da pauta, falemos do filme Amizade Colorida. Eu simplesmente amo. Meu preferido. Primeiro porque temos aí o Justin Timberlake e cada vez que vejo ele a minha vontade é de jogar minha calcinha na TV. Segundo que o filme é uma delícia, e a Mila Kunis (mulher do Ashton, sortuda pra cacete, puta que pariu) também é aquela coisa apaixonante.

friends-with-benefits-movie-poster-01-406x600

Então me perdoem pela longa ausência e principalmente pela longa introdução, mas o assunto aqui é esse filme “Amizade Colorida”. Não, não vamos dissertar sobre a relação “sexo x amizade”, ou a possibilidade de simplesmente ter um P.A** sem envolvimento, ou qualquer coisa do tipo. Vamos falar sobre algo bem específico que aparece no filme, que é quando cada personagem vai falando, ensinando e descobrindo como cada parceiro gosta de transar. Onde é pra pegar, onde dá cócegas, onde não funciona, onde dá tesão… E então o Justin conta que quando ele goza, ele espirra. ESPIRRA! Jato por cima, jato por baixo. Fantástico.

Eu espirro quando eu tomo licor. Um gole de Baileys e um atchim. Outro de Amarula, outro atchim e por aí vai… Mas, enfim, voltemos ao assunto!

E vendo esse filme na semana passada, lembrei de uma história e fiquei pensando nesse momento épico do homem que é momento de gozar. E na nossa reação, surpresa (ou susto) quando a gente ouve e vê isso acontecer pela primeira vez.

Fazer um cara gozar já é uma experiência fantástica (principalmente quando é junto ou quando você já gozou algumas vezes, né?), mas às vezes o jeito que o corpo dele reage na hora H é simplesmente demais. Ou simplesmente horrível.

Lembrei de um cara que eu ficava que cada vez que ele gozava dava risada. Era tipo uma crise de riso momentânea. Na primeira vez eu achei bizarro. Eu achei que ele tivesse rindo da minha cara, fiquei sem graça. Mas depois que ele me explicou que era uma reação natural… continuei achando bizarro.

Mas me acostumei. E no final eu até gostava, porque além de saber que a missão estava cumprida, sempre que uma pessoa ri, você acaba rindo junto. É instantâneo e contagioso, uma coisa leva a outra. Então no final acabava com uma sensação de relaxamento e alegria. Diferente e bom.

Mas lembro de uma vez que ele não riu. Eu estava de costas, o lance acabou e não ouvi nenhuma risada. Não entendi. Chamei o nome dele e nada. Pensei em um milésimo de segundo: “Caraca, o cara morreu! Eu matei o cara!” (quando a pessoa vê muito filme dá nisso). Mas não, ele não tinha morrido, tinha dormido. D-O-R-M-I-D-O. Calma, eu não dei sono no mocinho… Mas o corpo dele reagiu dessa forma com a descarga da adrenalina (pelo menos eu prefiro acreditar nessa minha versão). É o curto-circuito do orgasmo, meu bem.

E daí ele acordou e ainda ficou orgulhoso que dormiu e a parada estava lá, dura e tesa dentro de mim. Homens! Humpf! Sempre orgulhosos de sua virilidade.

Lembrei também de minha amiga Magnólia, que já contei aqui, que ficou com um cara que não gozava e se gozasse poderia desmaiar, por conta de um acidente que teve. Complicado.

Lembrei também de uma história que eu já contei aqui, que não tem nada ver com reação espontânea desse tipo, sobre um vizinho que quando gozava o prédio inteiro ouvia. Aquilo não era um gozo, era um urro, um grito de guerra dos vikings. Era algo vergonhoso, sério. Se eu topasse com um desse na vida, com certeza não existiria um segundo encontro entre nós.

Obrigada, Senhor, que nunca tive uma história de gozo ruim nessa vida. Pelo contrário, já passei horas lembrando do cara se contorcendo com aquela cara mágica e aquele gemido gostoso que fica alí ecoando no ouvido. Tem coisa melhor?

Mas pesquisando aqui, vi que existe sim uma correlação entre espirro e gozo!***  Estudos dizem que vem tudo da mesma área do cérebro ou que as duas ações tem o mesmo mecanismo. Louco, né?

Outras pesquisas dizem que há muito mais efeitos incontroláveis em algumas pessoas: dor de cabeça (geralmente as mulheres tem antes, não?), dor de ouvido, ataques de pânico e até efeitos como aqueles causados por gripe que duram dias após o sexo. E uma amiga minha achando que a sinusite dela não tem cura… vou falar pra ela parar de dar por um tempo, pra ver se melhora. Mas acho que ela vai preferir a sinusite… só acho.

E vocês? Algum conhecimento de gozo que vem com um tique junto? Um espirro, uma risada, um desmaio, um pum, uma gagueira, uma câimbra, um soluço? Alguma história de vergonha alheia? Fala, que eu te escuto. Só que eu conto aqui depois….


*Suits – uma daquelas séries fantásticas sobre advogados americanos. E com dois caras lindos de presente pra você.

suits

**P.A – para produtores de evento é uma caixa de som, para mulheres em geral é aquele Pau Amigo, que te dá sexo quando necessário, sem ter que ligar no dia seguinte ou levar pro cinema.

***Sobre a relação entre o espirro e o gozo segundo a ciência: https://www.vix.com/pt/sexo/535767/espirro-e-orgasmo-sao-parecidos-e-normal-ter-vontade-de-espirrar-no-orgasmo

 


Trailer do Amizade Colorida… já tô com vontade de ver de novo.

Anúncios

Escrito por

Oi! Sou Ana Ferrari.  Produtora de eventos, de filha bonita, de situações ridículas e de trapalhadas aleatórias. Especialista em perder coisas, fazer besteira, viver a vida e dar risada de si mesma.  PHD em crises existenciais que chegam antes dos 40 anos. Paulistana convicta com coração carioca. Leonina até dizer chega. Nem de direita, nem de esquerda. Interessada em igreja, centro, templo e terreiro. Experiente no luxo, no lixo e na luxúria, com vivência no erudito e no popular. Praticante de artes marciais, degustações de café, vinho e seriados. Aprendiz de escritora, de viajante e de violonista. E agora, de blogueira. ​ Pode isso, produção???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s