O chamado

Recebi um chamado….

Nunca pensei que fosse dizer isso, não por eu ser uma pessoa cética, pelo contrário, porque eu acredito em quase tudo, mas sim porque eu sou do tipo que não percebe nada. Eu posso já ter recebido vários sinais, mas nunca percebo nada.

Dessa vez foi diferente. Não sei nem dizer exatamente quando começou e o que desencadeou essa vontade louca, mas preciso dizer que algo está me levando a Santiago de Compostela. Desesperadamente. Eu quero ir. Preciso ir.

Por vezes eu deito a cabeça no travesseiro e me imagino lá. Caminhando, sentindo uma energia fantástica, me encontrando comigo mesma de uma forma única.

Uma amiga, numa dessas conversas que o assunto começa e você nem sabe o motivo, me contou sobre esse chamado. Ela disse, com a experiência de quem já passou por isso: “o caminho te chama”, e você está recebendo esse “chamado” agora. E é verdade. É assim que me sinto desde o começo de maio: vendo pequenos sinais, percebendo pequenas coisas que estão sempre me levando até lá. É um programa de tv que passa, uma palestra de um guru, é uma conversa com alguém, com outro alguém, um livro, um filme… e junto com tudo isso, um momento especial da minha vida que eu percebo uma necessidade extrema de me voltar para o meu interior, entender minhas atitudes, questionar minhas decisões, valorizar tudo que eu conquistei, trabalhar minha espiritualidade, minha fé, e trilhar, de fato, um caminho, que me deixe claro aonde eu quero chegar.

Tudo me leva a Santiago.

Esses dias recebi um comentário tão, mas tão legal no meu blog, que obviamente eu fui atrás pra ver quem era que estava me elogiando assim (gente, elogiem uma leonina e você terá ela em suas mãos, totalmente interessada por você…). Quando eu entro no perfil do Joy e vejo qual o blog dele, dou de cara com esse título: “Os caminhos além do Caminho”. Eu só pensei “porra, tá de brincadeira”! É ou não é pra ir? É ou não é um chamado? E no blog dele, ele fala sobre a preparação dele para a viagem, que deve acontecer daqui um ano: qual o percurso que vai fazer, planejamento financeiro, preparação física, quais equipamentos vai levar… sensacional! Tudo que eu precisava! E o destino deu mais essa mãozinha, e o coitado do Joy ganhou uma seguidora que já quer ser a melhor amiga de infância dele.

Mas se é tudo tão bom, se já está tudo tão resolvido, qual o drama dessa vez, Ana?

O drama é que uma viagem como essa exige planejamento, assim como o Joy está fazendo. E planejamento pra mim é quase como uma sentença de morte, porque só essa palavra já te passa a ideia que é uma coisa distante, que não pode ser feita agora e isso causa uma ansiedade maior numa pessoa que passou na fila da ansiedade mil vezes antes de nascer. Fora, que o meu histórico deixa claro que praticamente tudo o que eu planejei na vida aconteceu exatamente o contrário. Não gosto de planejar nada! Gosto quando as coisas simplesmente acontecem!

Eu quero ir já. Quero ir amanhã. Quero pegar um voo, colocar a mochila nas costas e sair andando. Mas eu não tenho tempo. Não tenho dinheiro. Não tenho mochila. Só tenho a vontade e isso não basta. Oh, Gooooood!!!! Por quê???

Então como lidar com isso? Vou apelar para as minhas listas que eu tanto gosto. Lista de metas e conquistas (porque só de fazer as listas eu já sinto que de alguma forma começo a cumprir cada um dos desejos):

Mais uma meta de 2017 – controlar a ansiedade sem apelar para o Rivotril. Eu nunca tomei, mas também minha ansiedade nunca passou. Vou ter que dar um jeito: ioga, mantra, budismo, oração, terapia, muay thai… qualquer coisa. Escrever tem sido ótimo também, viu? Uma puta terapia, recomendo!

Primeira meta de 2018 – fazer o caminho de Santiago de Compostela.  Em abril (ou maio, o que eu conseguir). Sozinha (ou acompanhada, ainda não decidi). 200 (ou 300 km, ainda não sei). Caminho francês (ou português, tô meio confusa).

Ainda tenho algumas dúvidas, como se pode notar, mas já está decidido. E a partir de agora, bora planejar!!! Aceito dicas, equipamentos emprestados, dinheiro, convites para trilhas, mais sites para se inspirar, mais livros para ler… estou super aberta a receber qualquer tipo de incentivo. Não se acanhem!

E alguém aí? Se anima para se meter numa aventura dessa? Vocês vão ter que me aguentar um ano falando disso…

 


Lembra que eu falei de algumas coisas e pessoas que já me inspiraram nessa busca, seguem duas dicas:

Blog do Joy: Os caminhos que te levam ao Caminho – https://caminhosalemdocaminho.wordpress.com/

Livro: Livre (ou Wild – em inglês). Conta a história verídica de Cheryl Strayed. Ela não faz o caminho de Santiago, mas decide percorrer a Pacific Crest Trail, uma trilha gigantesca que cruza a California. Ela vai sozinha com a cara e a coragem e uma bagagem difícil, cheia de caquinhos que ela precisa juntar. Emocionante, inspirador. Eu amei cada segundo da leitura.

livre
o livro que não saiu do meu colo e da minha mente

Tem o filme também, com a Reese Whiterspoon, eu ainda não vi, mas não passa dessa semana. Segue o trailer:

Anúncios

Escrito por

Oi! Sou Ana Ferrari.  Produtora de eventos, de filha bonita, de situações ridículas e de trapalhadas aleatórias. Especialista em perder coisas, fazer besteira, viver a vida e dar risada de si mesma.  PHD em crises existenciais que chegam antes dos 40 anos. Paulistana convicta com coração carioca. Leonina até dizer chega. Nem de direita, nem de esquerda. Interessada em igreja, centro, templo e terreiro. Experiente no luxo, no lixo e na luxúria, com vivência no erudito e no popular. Praticante de artes marciais, degustações de café, vinho e seriados. Aprendiz de escritora, de viajante e de violonista. E agora, de blogueira. ​ Pode isso, produção???

4 comentários em “O chamado

  1. Que surpresa agradável para um sábado à noite.

    Já dizia a música : “todo mundo espera alguma coisa, de um sábado à noite”

    Entendo os seus “medos/preocupações” pois também não sei tudo é nem tudo.

    Quando falo essa palavra bonita chamada de planejamento e eu também trabalho com planejamento, percebo o quanto é fácil se desviar daquilo que temos em mente.

    Mas se te serve de consolo, minha idéia é fazer o caminho de forma simples, sem luxo, sem expectativas e sem que ele termine quando eu chegar a Santiago de Compostela.

    Vamos aprender praticamente juntos. Vamos nos atrapalhar juntos, vamos fazer o mesmo caminho e vamos caminhar em diferentes épocas rs

    Será uma grande jornada.

    Obrigado por escrever sobre mim. É muito raro, nos dias de hoje alguém fazer isso sobre mim.

    Um beijo

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s