Temporariamente Fora de Serviço

Não, eu não desisti. Eu sou brasileira e não desisto nunca. 

Abre parênteses: vamos combinar que esse é o melhor slogan político dos últimos tempos! Não porque ele seja realmente motivacional, mas é que ele passa a ideia que se você já está na merda vivendo aqui no Brasil, mesmo trabalhando duro, imagine se jogar tudo pro alto, se desistir? Fundo do poço. É um jargão-consolo. E funciona. Pelo menos como motivo de chacota. Fecha parênteses.

Eu não desisti do blog. Pelo contrário, nesse tempo que fiquei ausente recebi só coisa boa, só incentivo. Se tivesse recebido elogio somente de amigos era pra desconfiar, porque eles sabem que nesse começo é importante um incentivo, mas tem gente que eu nem conheço que escreveu que se identifica com meus textos e adora. Ok, foi uma única pessoa e eu estou super apegada à ela. Mas já me sinto motivada o suficiente para continuar escrevendo minhas bobagens por aqui por mais tempo, portanto, como dizia o nosso querido e ainda vivo (fui me certificar no Google, confesso… que péssimo isso) Zagalo: “vocês vão ter que engolir”

E a pergunta que não quer calar… E qual foi o motivo do sumiço, então? Simples: EVENTO. Fui abduzida por um evento. Porque evento, gente, é uma coisa que te consome, que te cansa, que te arrebenta. Física e emocionalmente. São muitas e muitas horas cuidando de tudo. E nos seus raros momentos em casa, seu whats app está bombando. Seu telefone está tocando. Sua filha está chamando. Sua coluna está doendo. Seus pés estão ardendo. Suas contas estão vencendo…

E quando tudo vai bem… e você pensa, tá tranquilo, tá favorável… o cliente resolve querer, seu chefe resolve mudar, o artista resolve pedir, o fornecedor resolve cobrar e tudo vai mudando num efeito borboleta sem fim. E você fica lá “girando os pratinhos” para que nada caia. Louca. Insana. Tentando fingir que você não está desequilibrada. Mas você mantém o quê? A pose. E o sorriso no rosto (sempre que dá). 

Mas sabe o que você não consegue manter??? A dieta. A dieta é a primeira a ir embora junto com suas horas de sono.

Você come o que dá e quando dá. E mesmo quando até dá pra fazer tudo direitinho, vem aquele monte de comida maravilhosa na sua frente e você não recusa, com a desculpa de que isso vai aliviar a sua ansiedade e seu desespero e, afinal você não é o Dalai Lama pra ser essa evolução em pessoa… Então aquilo que você vem cultivando há um mês, você descamba em 4 dias. 

E o evento acabou e sua vida está de perna pro ar, simples assim.

Bom, e agora? Vamos correr atrás do prejuízo, oras! Mais textos em menos tempo, dieta voraz, treino matador, reposição de sono, muito creme para olheiras, aula intensiva de violão (porque eu já esqueci tudo), conhecer a Japan House e ver Mulher Maravilha no cinema (isso é muito urgente). 

Isso tudo até vir o próximo evento…

Mas já adianto: final se semana estaremos novamente temporariamente fora de serviço. Motivo: House of Cards. Sorry, mas Frank Underwood me chama! Vai ser maratona non-stop do primeiro ao último episódio – só parando para número 1, número 2 e para colocar pipoca no microondas! Motivo muito justo, vai?

P.s: Aviso de jabá próprio – Foi uma loucura mas, com certeza, foi um dos eventos mais bonitos que eu já produzi. Montamos uma cidade cenográfica inspirada em New Orleans, toda charmosa, cheia de comidinhas e bebidinhas gostosas, performances artísticas e 6 shows de blues simplesmente incríveis. Saca só! Fotos do Samsung Blues Festival, miagente! (realização Dançar Marketing em parceria com o Ministério da Cultura, patrocínio Samsung – dãaah).

Abaixo, nessa ordem: Mustache e os Apaches, Sonny Landreth e Albert Cummings (virei muito fã!)

Escrito por

Oi! Sou Ana Ferrari.  Produtora de eventos, de filha bonita, de situações ridículas e de trapalhadas aleatórias. Especialista em perder coisas, fazer besteira, viver a vida e dar risada de si mesma.  PHD em crises existenciais que chegam antes dos 40 anos. Paulistana convicta com coração carioca. Leonina até dizer chega. Nem de direita, nem de esquerda. Interessada em igreja, centro, templo e terreiro. Experiente no luxo, no lixo e na luxúria, com vivência no erudito e no popular. Praticante de artes marciais, degustações de café, vinho e seriados. Aprendiz de escritora, de viajante e de violonista. E agora, de blogueira. ​ Pode isso, produção???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s